Deixa Rolar - UOL Blog

Deixa Rolar




Olá, pessoas queridas...

Desculpem ter ficado tanto tempo sem escrever, mas finalmente, depois de muito tempo na vontade, consegui instalar e configurar o meu ambiente virtual lá no www.harielnoone.com.br . Agora, meu site reúne TODOS os tipos de conteúdo que eu produzo: blog, crônicas, contos, histórias... e o que mais a imaginação mandar, tudo no mesmo espaço e com a facilidade de publicação que um blog tem.

Ainda quero personalizar o laytou, mas para isso precisarei contar com o talento de um aamiga minha, designer incrível, para criar algo bem a minha cara. Vamos ver quando configurei implementar esse novo layout.

Então, aproveito para dizer que estou publicando a minha pirmeira história, escrita exclusivamente para a Internet, chamada Súplica do Vento. Passem lá no meu site e leiam! Deixem seus comentários também.

Por isso, é com muita tristeza que anuncio que esse endereço aqui ficará parado. Estou blogando lá no www.harielnoone.com.br .

Beijos, queridos. Nos vemos lá! ;) Escrito por Hariel D. Noone às 12h01
[] [envie esta mensagem]





Coisas que importam...

Estive no Rio esse feriado, visitando a minha família. Vazia 6 meses que não via minha mãezinha, meu pai, minha irmã (uma das pessoas mais amadas da minha vida) e a minha sobrinha (seria a outra pessoa mais amada da minha vida, junto com a minha irmã). Ela está com oito meses e eu só a havia visto uma vez. Na outra viagem, fiquei muito pouco tempo, não pude aproveitar a Giulia, até porque era muito pequenininha e tinha receio de pegar, sabem?

Agora, ela está maior, ainda mais linda e perfeita... E foi muito importante poder passar uma tarde com minha irmã, minha sobrinha e meu cunhado querido, como nos velhos tempos: conversando, curtindo a simples presença deles e, claro, brincando e beijando a minha sobrinha - quando ELA estava disposta, porque jamais imporia a minha presença a uma criança tão linda e inocente.

Foi MUITO especial mesmo... Tiramos várias fotos (QUERO AS MINHA FOTOS, HEIN). Isso me deixa ainda com mais saudade, mas vou me dedicar a passar um dia por mês só com eles, com minha irmã, minha bonequinha e o Nando, se ele puder. Me senti amada de verdade e isso é muito bom.

Daí, fica esse vazio agora... Essa saudade - dolorida mas boa de se sentir. E o Dalton, colega meu de trabalho e os meus "colegas" são praticamente como uma família para mim, visto que passo masi tempo com eles do que com qualquer outra pessoa, me enviou uma mensagem linda que quero muito colocar aqui e dedicar essas palavras à Giulia, para que ela tenha apoio, amor e sabedoria ao fazer suas escolhas, no futuro. Sempre desejo essas coisas. E sei que ela será sempre muito feliz.

Beijos para todos.

"A não ser que você se dê conta de que tem o poder de dizer não, você nunca poderá realmente dizer sim. A seus relacionamentos, a seu trabalho, a sua vida, a qualquer coisa. Você não precisa esperar para fazer mudanças positivas de impacto. Você não precisa ir à escola, você não precisa ir ao trabalho, você não precisa ir à guerra, você não precisa ser casado ou ter filhos... ou agir de forma que outras pessoas esperam ou querem. Apenas reconhecer que cada ação ou não ação tem conseqüências e que sua disposição para aceitar esta conseqüência lhe dá o poder e a liberdade para escolher quem você é, onde você está e o que você vai fazer. É neste momento que a vida muda de uma obrigação para uma oportunidade abençoada. É neste momento que o milagre acontece."

(Dan Millman)

Escrito por Hariel D. Noone às 11h29
[] [envie esta mensagem]





Sempre em frente

Recebi a mensagem abaixo de um amigo e colega de trabalho, num momento em que duvidava de mim mesma e o ressentimnto orpimia meu coração. Como estou sempre atenta a todos os sinais que nos são dados pelo Cosmos, esse não me passou despercebido, claro. Semrpe recebemos as respostas às nossas aflições, mesmo que não estejamos esperando por elas.

Beijos para todos. Hariel

"CÓDIGO DE ÉTICA DOS INDÍGENAS NORTE-AMERICANOS

Existem muitas variações deste código pela internet, a maioria com atribuições anônimas. A fonte mais antiga que podemos achar, no momento, para o Código de Ética é de 1982, da Four Worlds Development Project (Universidade de Lethbridge, Alberta), fundado por Phil Lane Jr, um membro das nações Yankton Dakota e Chickasaw. Outra versão mais elaborada foi publicada pelo "Inter-Tribal Times" em outubro de 1994. Como o código é uma tradição oral, sujeita a variações, vejamos a versão mais antiga, de 1982:

1. Dê graças ao Criador toda manhã após acordar e toda noite antes de dormir.

2. Busque a força e a coragem para ser uma pessoa melhor.

3. Mostrar respeito é uma lei fundamental da vida.

4. Respeite a sabedoria das pessoas reunidas em um Conselho. Uma vez que você dá uma idéia, ela não mais pertence a você; pertence a todo mundo.

5. Seja verdadeiro a toda hora.

6. Sempre trate seus convidados com honra e consideração. Dê sua melhor comida e confortos para seus convidados.

7. A mágoa de um é a mágoa de todos. A honra de um é a honra de todos.

8. Receba estranhos e pessoas de fora amavelmente.

9. Todas as raças são filhas do Criador e devem ser respeitadas.

10. Servir outros, ser de valia à família, comunidade, ou nação é um dos propósitos principais para o qual as pessoas foram criadas. A felicidade verdadeira vem para aqueles que dedicam suas vidas para o serviço aos outros.

11. Observe moderação e equilíbrio em todas as coisas. Saiba das coisas que levam ao seu bem-estar e das coisas que levam a sua destruição.

12. Escute e siga a direção dada pelo seu coração. Espere esta direção de muitas formas: Em orações; Em sonhos; Em solidão; E nas palavras e ações de Anciões e amigos."

Escrito por Hariel D. Noone às 09h24
[] [envie esta mensagem]





Novidades Importantes!

Então, pessoal!

A primeira novidade super importante é sobre os meus dois livros "Xeque-Mate" e "Noite Eterna": para quem ainda não comprou e gostaria de ter, ambos os livros estão sendo vendidos a 10 reais no site da editora, numa mega promoção! Resolvi avisar porque é imperdível.

Para quem tiver interesse, olha aí o endereço para solicitar os exemplares: http://www.altabooks.com.br/ .

A segunda notícia é que a Mikaela está de volta.

Para ser sincera, as crônicas ainda estão antigas porque tive que migrar de endereço e não queria publicar tudo de uma vez - o site precisa realmente parecer um diário. :)

Mas a partir de segunda-feira, terei um blog para ela o Jô e as trapalhadas dos dois. Tenho MUITA história para contar e retomarei as crônicas com mais freqüência agora.

Olha aí o novo link: http://mikaela4ever.blogspot.com/.

Não deixem de dar uma olhadinha, hein! ;)

Até, pessoal.

Hariel. Escrito por Hariel D. Noone às 17h08
[] [envie esta mensagem]





Despedidas e Encontros

Esse final de semana foi dedicado ao ócio. Primeiro que eu estava super cansada mesmo... Cansada do ritmo do trabalho (mais de um ano e dois meses sem parar!), cansada da minha sinusite bizarra que não me larga, de ter que tomar remédio... Cansada de saudade da minha irmã, da minha sobrinha e do meu pai. Acho que tô de TPM. :P

A propósito, foi no fotoblog da Giulia e vi MUITAS fotos lindas por lá. É sempre bom visitar o fotoblog dela proque vejo essa fofura e também a minha irmã, a quem amo muito e sinto muita falta. É quase como se eu estivesse me encontrando com elas... Apesar de não poder ouvir suas vozes nem receber o brilho de seus olhares.

Tá... Vou dar o gostinho, mas só um pouco.



Elas não são simplesmente LINDAS DE MORRER? Minha irmã sempre detestou quando eu falava isso para as pessoas. :) Beleza é de fato algo subjetivo, mas nesse caso, stou falando por mim: eu acho as duas lindas e maravilhosas.

E a despedida? Pois é... Ontem fui à despedida da minha chefe, que vai para Londres na quarta-feria agora. Foi muito divertido... O bar era legal pacas... Só não precisava ter ouvido "Take on me", do A-Ha. Não que eu não goste de A-Ha. Ao contrário! Adoro... Mas eu não precisava do "i'll be gone in a day or two", não concordam? :(

Tô triste e cheia de saudade. Isso é um perigo, principalmente perto da minha TPM.

Escrito por Hariel D. Noone às 13h50
[] [envie esta mensagem]





Da revolução tecnológica das fechaduras à escuridão da ignorância

É incrível como trabalhar com tecnologia, internet e novas ferramentas de interação mudam a nossa visão sistêmica das coisas. Lembro de quando comecei a trabalhar aqui na USP. Isso não faz nem um ano e meio, mas parece que faz uma eternidade! Eu era uma pessoa super metódica. Não conseguia fazer duas coisas ao mesmo tempo sem ficar angustiada. Tudo precisava seguir a sua ordem e só iniciava algo depois de terminar a tarefa anterior... Quem me conhece e aos meus processos criativos sabe bem do que estou falando.

Longínqua época essa!

Agora, sou outra pessoa! Não consigo trabalhar com menos de quatro abas em cada navegador... O memso se dá com os livros: estou escrevendo três ao memso tempo, sem perder o foco de cada um. Coisa de louco! Para vocês verem o que conseguimos fazer quando não sabemos do que NÃO somos capazes... Parafreseando o Jim Davis.

Então, nesse último final de semana, ao acompanhar meus colegas de trabalho a um workshop aqui mesmo, em São Paulo, paguei o maior "micom" dos últimos tempos.

Após um dia inteiro de trabalho pesado no hotel, raciocinando e produzindo... Peguei o cartão-chave do meu apartamento (chique, né? A chave do quarto era um cartão magnético), mala pendurada no ombro e me encaminhei para um banho rápido e revigorante, antes da próxima atividade começar. Meti o cartão na porta. Até aí, tudo bem. A luzinha ficou verde, forcei a maçaneta e entrei.

Tudo breu, como era de se esperar. Saí catando os interruptores e, quando consegui encontrar, já satisfeita pela vitória, as luzes não acenderam. Passei a pagar um mico a trás do outro desde esse momento: apertei os interruptores de todo o local; desliguei a chave de força e tornei a ligar; até bater palmas eu bati (para ver se era automático. aidna bem que não tive testemunhas no momento), tudo isso intercalado com contínuas saídas para o corredor porque, obviamente, a luz do corredor era a única que iluminava, mal e porcamente, o interior do apartamento.

Vencida e convencida de que alguma coisa estava quebrada, larguei a mala num canto e voltei à sala de atividades para falar com a Lu, poderosérrima secretária da gente, capaz de cortar caminho no trânsito caótico de São Paulo, fazer deliciosos pãos de mel e organizar workshops em uam semana (a mulher sabe tudo). Precisava perguntar para alguém como acender as luzes do quarto e a Lu me pareceu a melhor opção. Acho que não teria coragem de perguntar para mais ninguém. A resposta me matou:

- Você depositou o cartão num suporte atrás da porta?

- Não... - respondi.

- Se você não colocar o cartão nesse suporte, a luz não acende.

- Mas, Lu... - argumentei. - Como você sabia disso?

- Eu já fui a vários flats. É sempre assim... - e voltou a trabalhar com seu sorriso solícito.

Como diz a minha chefinha loira, "ser pobre é uma droga!" :D Micão... Mas como é que eu ia saber, né?

Ah... Quase me esqueci. Realmente, as luzes acenderam. Agora vocês já sabem: se forem a algum flat que abra a porta com cartões magnéticos, procurem atrás da porta ou na parede mais próxima algum tipo de lugar para enfiar o cartão. Do contrário, vão ficar todos no escuro.

 

Escrito por Hariel D. Noone às 15h40
[] [envie esta mensagem]





Roda viva...

"Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu
A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino pra lá
 
(...)
 
A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a roseira pra lá
 
(...)
 
A roda da saia, a mulata
Não quer mais rodar, não senhor
Não posso fazer serenata
A roda de samba acabou
A gente toma a iniciativa
Viola na rua a cantar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a viola pra lá
 
(...)
 
O samba, a viola, a roseira
Um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira
Que a brisa primeira levou
No peito a saudade cativa
Faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a saudade pra lá
 
Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda peão
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração (...)"
(Roda Viva, Chico Buarque de Holanda)
 
***
E, nessa vida louca, que escorre pelos dedos ou roda feito peão, quem é qeu nunca se sentiu numa roda gigante, certo de que o tempo acabou?
Escrito por Hariel D. Noone às 10h47
[] [envie esta mensagem]





Bodovelhas a parte...

Com essa frente fria de doer os ossos e, tendo euzinha passado bastante frio em algumas ocasiões, resolvi dar crédito aos meteorologistas e procurar saber as tendências climáticas do dia antes de sair de casa. Talvez não achem válido, mas graças a magnífica previsão do tempo do "Bom Dia São Paulo" escrevo essas linhas agasalhada e quentinha! :)
 
E o que isso tem a ver com as Bodovelhas? Tudo!! Antes do jornal, tenho o privilégio de assistir os últimos momentos do "Globo Rural", instrumento de saber e conhecimento. Foi num momento desses, de profunda reflexão, que tive a oportunidade de perder a incrível matéria sobre o primeiro cruzamento espontâneo (e bem sucedido, pasmem) entre um bode e uma ovelha.
 
Perdi a reportagem, mas a Renata não. E ela, meiga e fofa,  se incumbiu de me contar com todos os detalhes a linda história de amor, que começou com os enamorados lutando pelo direito de ficar juntos, mesmo quando toda a sociedade (lê-se os donos e/ou a natureza em si) criou obstáculos para esse relacionamento pitoresco.
 
Um aparte para quem não sacou a crise: os casais corretos são: bodes e cabras; carneiros e ovelhas. Logo, subentendemos que bodes e ovelhas, por pertencerem a espécies diferentes apesar de estarem na mesma imensa e calorosa família dos quadrúpedes mamíferos, não deveriam ficar juntos. Ou, caso copulassem, a própria natureza de incumbiria de tornar a união infértil.
 
Bom, para não levantar problemas políticos mais sérios, visto que a maioria das pessoas anda com certa tendência a entrar  ou apoiar aglutinações reivindicatórias esses últimos dias, me apresso em dar a notícia: o bebê dessa união já nasceu, gente! E, contrariando as expectativas... Está vivinho da silva!
 
Mas encurtei a história. Que triste. Só para resumir, o bode, perdido de amor pela ovelha alheia, se desinteressou de todas as fêmeas comuns, ou seja, as cabras. Não cobria ninguém mais, aguardando ansiosamente o cio da ovelhinha. Quando aconteceu, tiveram de confinar o bicho num cercadinho de condições precárias: chão de terra batida, ração de boa qualidade apenas três vezes por dia, petiscos baratos como grama entre as refeições. Imaginem só, dar grama para um bode daquele porte! Espero que ele reivindique seus direitos...
 
Enfim, no final de tanta aporrinhação (porque mulher é foda e a ovelha também não deu sossego), o dono resolveu soltar os bichos e deixar fluir o curso natural das coisas. "O que pode acontecer?", perguntou o criador. A resposta está aí, mamando com vontade depois de uma gestação tranqüila: algo entre um bode e uma ovelha.
 
Sou a favor dos direitos de identidade de todos os seres. Não dá para chamar um filhotinho daqueles de... "coisa"! Foi quando surgiu o termo BODOVELHA, sonoramente harmonioso, define com exatidão o resultado da liberdade de amor que sobrepôs a natureza.
 
Agora eu pergunto, com sinceridade... Realmente existe espaço para críticas a credo, cor da pele e relacionamentos homossexuais num mundo que já possui uma bodovelha?


 

Escrito por Hariel D. Noone às 09h49
[] [envie esta mensagem]





Ausência

"Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada".

(Vinícius de Morais, in Antologia poética)

* * *
Estou retomando o meu Blog depois de um longo de tenebroso inverno! Estive com saudades: de escrever, de sonhar, de ser um pouco mais "pés nas nuvens"... Faz bem voar, tão bem quanto mergulhar em si mesmo. E o mar de incertezas que é a vida acaba, de vez em quando, nos arrastando ao mesmo ponto em que começamos. Não, não é o meu caso! ;) Não começo do mesmo ponto, mas um recomeço exige, quase sempre, uma reflexão daquilo que já passou. Não é verdade?

Escrito por Hariel D. Noone às 08h37
[] [envie esta mensagem]





Efeito "segunda-feira com chuva"...

Estou realmente passando por uma “fase ruim”. Me sinto podada, embotada, rodando em círculos. Acho que muita gente passa por essas fases. Outras pessoas nunca saíram dela e estão de tal forma impregnadas que nem se dão conta de que existe! Antes eu achava que isso era triste... Agora acho que é melhor assim. Meio “efeito Matrix”, sabem? É melhor comer mingau achando que é carne do que comer mingau sabendo que é mingau... Ainda mais se não nos resta opção.

Mas que coisa horrível de se escrever, em plena segunda-feira, não é verdade? Para ser sincera, meu distanciamento da net está tamanho que não acredito que ninguém mais leia este blog. De qualquer forma, vou arriscar...

Várias pessoas têm me escrito para falar do primeiro volume de “Noite Eterna: Sangue sobre Cedro”. Várias mesmo! Fico MUITO feliz e queria agradecer especialmente à Christina Kanashiro, pela empolgação e pela cobrança do segundo volume... Sem a força e a empolgação de vocês, leitores, o meu trabalho seria muito menos emocionante, com certeza.

Daí, tenho as notícias não tão boas: ainda não consegui retomar o segundo volume, apesar de faltar apenas um pouco para a finalização. Como estou trabalhando agora num projeto educacional, não tenho tanto tempo quanto antes e, mesmo esse, será dedicado à uma outra obra, que participará de um concurso literário no ano que vem. Bem... dá para perceber que falta de tempo está entravando a minha grande paixão... O que é ruim, pois sinto minha alma triste, triste... Pelo menos, dessa vez o trabalho que faço é legal, com pessoas legais, o que torna tudo mais interessante. Mesmo assim, estou em abstinência absoluta e sei que, se não fizer algo para arranjar tempo para escrever, e rápido, com certeza não vou conseguir continuar.

Mas tenho fé de que agora, bem motivada, tudo há de se acertar. Nem tenho certeza de conseguir escrever a obra para o concurso, visto que estou super a fim de retomar ‘Noite Eterna”. Escrever algo que é preciso quando estamos completamente inebriados por outra obra é BEM difícil e quem já passou por isso sabe do que estou falando.

Bem, meus queridos, acho que vou ficando por aqui. Para os amigos queridos que há muito não falo e não vejo, saudades. Para os leitores que me enviaram e-mail, tive um problema com o servidor (gmail) e alguns deles forma perdidos, porém escreverei mesmo assim, através dos e-mails que ficaram anotados na minha caixa de entrada. Todos serão respondidos, promessa. Para aqueles que dedicaram um tempo de suas vidas, mesmo sem me conhecer, para comentar o meu trabalho, não tenho palavras para agradecer. Vocês dão sentido ao meu esforço, apesar de as minhss obras existirem pela a necessidade de dar vida a milhares de universos, ainda desconhecidos.

Beijos carinhosos.

Hariel.
Escrito por Hariel D. Noone às 11h09
[] [envie esta mensagem]





Notícias regadas de saudades!

Olá, pessoal... Como deixei o meu cantinho meio que abandonado nos últimos meses, nem sei se alguém ainda vem aqui, me visitar. Mas não tem problema porque não ter leitores assíduos nunca foi impedimento para que eu "escrevesse pelos cotovelos"! Vide a minha adolescência, quando escrevia livros inteiros que foram parar na lata do lixo sem que ninguém nunca os tivesse lido além de mim! Que disperdício... :(

Estou retomando as minhas atividades. É uma decisão firme, imediata, que acabei de tomar nesse exato instante, enquanto escrevo essas linhas. Estou envolvida num trabalho intenso e apaixonante que, apesar de não ter nada a ver com Literatura, me deixa feliz. Mas não quero abrir mão do meu caminho e da minha maior paixão: escrever. Ainda não sei bem como farei... Acho que publicarei na Internet. Vou pesquisar um pouco mais sobre hipertexto e hiperdrama para fazer algo inovador e que seja interativo, que seja feito para a internet e não algo apenas copiado e colado. Vou levar isso como um desafio pessoal e desenvolver meus textos assim. Acho que seria MUITO legal.

Vou atualizar meu blog pelo menos duas vezes por semana, para que vocês saibam o que anda acontecendo comigo. Vou visitar novamente os amigos blogueiros e tocar os meus projetos.

Para os queridos leitores que me perguntam sempre quando vou publicar o segundo volume de Noite Eterna, infelizmente ainda não tenho uma previsão, simplesmente porque preciso recuar um pouco na história que já estava escrita e alterar algumas partes que não estão me deixando satisfeita. Quem já passou por essa etapa de reescrever uma história sabe que é bem complicado. No meu caso, serei sincera: não tenho muito saco, mas é um mal necessário! Não estou falando de revisar e alterar alguns detalhes. Estou falando de reescrever mesmo! Tipo deletar e começar novamente. Dá uma dó terrível, e ao mesmo tempo é um enfado. Mas encararei como uma oportunidade de tornar a história ainda melhor, visto que sou bem exigente e não estou nem um pouco satisfeita. Acontece... O escritor que nunca passou por isso não sentiu a emoção verdadeira de lapidar sua obra.

Acho que é isso por enquanto. Vou ficando por aqui mas, agora, com o comprometimento de não deixar o meu lado viajante, delirante e VIVO morrer no esquecimento. Beijos para todos. Muita paz, luz e harmonia em seus caminhos. Sucesso e sorte no que estiverem fazendo. Escrito por Hariel D. Noone às 16h31
[] [envie esta mensagem]





Mangás Imperdíveis e em Português!

Todo mundo sabe que sou fâ de mangás e animes (quadrinhos e desenhos japoneses). Claro que não curto qualquer coisa, sou até bem exigente. A história precisa ser coesa, ter personagens interessantes, com contornos reais. Prefiro os dramas e histórias sobrenaturais, porém boas comédias, românticas ou não, também me atraem. De qualquer forma, são poucos os quadrinhos japoneses que não preenchem esses requesitos. E, agora, temos vários títulos disponíveis na nossa Língua, o que é mais legal ainda!

Ontem li os dois primeiros volumes de "Tsubasa Chronicles" e "XXX Holic" no caminho do trabalho e precisei voltar aqui hoje para dizer: é muito bom! Recomendo os dois, sendo que ambos mesclam comédia e drama, um paraíso para pessoas como eu! Confiram...

Tsubasa Reservoir Chronicles – “Sakura e Shoran estão de volta em uma aventura inédita. Mas o par de Heróis de Sakura Card Captors está um pouco diferente. Em Tsubasa Reservoir Chronicle, o novo mangá da JBC que já é sucesso no Japão, Estados Unidos, Cingapura, Taiwan, Espanha, França e Alemanha, Shoran terá de lutar em mundos diferentes para salvar a vida de sua amada Sakura. Além dos dois personagens, esta aventura traz ainda inúmeras referências ao “Universo Clamp” – de Guerreiras Mágicas de Rayearth e Chobits à X e Tokyo Babylon.

Publicado pela Kodansha desde 2003, em Tsubasa Sakura é a princesa do Reino Clow que possui um poder misterioso que, quando mal compreendido, pode mudar o mundo. Shoran é seu amigo de infância e explorador de uma escavação arqueológica na qual seu pai morreu. Os dois vivem num mundo alternativo, em que coisas inesperadas acontecem o tempo todo.

Sakura está prestes a declarar seu amor a Shoran no sítio arqueológico em que ele trabalha quando um estranho símbolo desenhado no chão a atrai. À medida que ela se aproxima, uma espécie de enigma é acionado e suas memórias são transportadas para outras dimensões. A partir daí, Shoran embarca numa íncrivel jornada por outros mundos para salvá-la. Nestas viagens ele encontrará outros personagens do Universo Clamp e terá como guia a sensual bruxa Yuko Ichihara, a estrela de XXX Holic”.



 

XXX Holic - “Nesta aventura lançada em 2003 pela Kodansha no Japão, a sedutora bruxa Yuko Ichihara é a dona de uma curiosa loja em que qualquer tipo de desejo pode ser realizado. Mas há um preço para que o pedido seja atendido: ela cobra um favor ou algo de igual valor de seus clientes. O custo varia desde objetos pessoais de grande valor até… a alma da pessoa. É a própria Ichihara quem decide o “preço” do desejo – e a bruxa sabe exatamente o que pedir para cada um que entra em sua loja em busca de um sonho a se realizar.

Kimihiro Watanuki é um estudante que sofre por ser importunado por criaturas sobrenaturais que se sentem magicamente atraídas por ele. Esses seres que o perseguem são invisíveis para o restante das pessoas, o que dificulta ainda mais a vida do garoto. Mas tudo muda quando Kimihiro conhece a “loja de desejos” de Ichihara. Para se livrar da perseguição do além, o preço é que ele se torne o “assistente” de Ichihara. Entre uma limpeza e outra, ele precisa executar os mais estranhos trabalhos.”


Imagens e resenha retirados do site http://www.editorajbc.com.br/mangas, a título de divulgação. Para os fãs de manga, é uma página fundamental para se conhecer os títulos disponíveis em Língua Portuguesa.

Escrito por Hariel D. Noone às 08h30
[] [envie esta mensagem]





A única certeza da vida

Olá, pessoal! Puxa vida... Faz tempo, não é verdade? Agora que fico muito mais horas navegando, o trabalho não me deixa um horariozinho vago para blogar... só de vez em quando! :P

Muitas coisas aconteceram essas últimas semanas... Meus textos estão um pouco parados, mas é realmente temporário. A partir de amanhã vou retomar a escrita porque estou com saudade. E também ansiosa para ver a minha história terminada, não é verdade? No final de semana vou tentar terminar o novo layout do Entrelinhas. O novo está MUITO MAIS BONITO, pena que ainda não terminei... :(

No domingo fui a um workshop de um dia, selecionado pela minha chefe (que é MUITO Legal). Mas acho que ninguém sabia exatamente o que encontrar. A verdade é que, na internet, souberam vender muito bem o "produto". Ao vivo, foi legal, mas estava mais para uma terapia em grupo do que uma aula sobre ferramentas de diálogo (que era o tema do workshop). Coisas da vida... Mas estou bem feliz.

A parte triste é que meu cachorrinho, de 11 anos, morreu no dia 31 de maio. Nem entrei aqui para escrever porque foi uma perda muito grande para mim. A maioria das pessoas não entende esse tipo de relação com os animais. Não vou ficar também julgado os outros porque cada pessoa tem os seus paradigmas e as suas verdades. A minha verdade é que aquele cão foi meu companheiro de muitos momentos; ele me entendeu no pior momento da minha vida, quando ninguém mais entendia; ele recolhia as minhas lágrimas cada vez que eu chorava; apoiava a cabeça nos meus pés cada vez que eu sentava para estudar, e foi ao lado dele que comecei a escrever meu primeiro livro para publicação, que só ficou pronto anos depois.

Não consegui trazer meu cão para São Paulo quando me mudei porque não aceitavam mais cachorros onde fui morar. Depois, quando fui para outro apartamento, ele já estava doente e minha mãe não lidava bem com a idéia de se separar dele. Passei e vê-lo pouco, tão pouco quanto vejo a minha família. A última vez que falei com ele, foi para dizer tchau e promter que da próxima vez eu ficaria mais com ele. Não fiquei... Agora, sinto falta dos latidos, das gracinhas e de tudo aquilo que não vivi com ele porque não tive tempo. Ele morreu e nunca mais poderei vê-lo outra vez, a não ser em pensamento.

Essa é a única certeza da vida, não é? A morte... Mas, de tudo isso, aprendi mais uma lição: quero aproveitar meu tmepo para etar mais com aqueles a que amo. Amor a gente não distingue, quer seja por um animalzinho que está ao nosso lado, quer seja por uma pessoa. Ao menos, eu não distingo! Todos são amores, diferentes mas importantes porque implicam em dedicação.

Eu deveria ter me dedicado mais quando ainda era tempo.

Escrito por Hariel D. Noone às 16h45
[] [envie esta mensagem]





Notícias

Olá, pessoal! Estive bem ausente da Internet esses dias! Primeiro peguei um gripe e tanto (já estou bem melhor), daquelas que derrubam a gente mesmo! Depois tive que colocar o trabalho em dia, que estava todo atrasado. Só agora estou conseguindo voltar ao eixo... E tenho um monte de coisas para fazer!

Mesmo assim, não deixei de escrever, não. Apenas, como havia imaginado, estou escrevendo bem menos por dia. [b]Súplica do Vento[/b] está indo muito bem e, em breve, poderei disponibilizar a história na rede. Só estou terminando de escrever para não correr o risco de ficar longo tempo sem publicar nada e porque pretendo registrar o texto antes de disponibilizá-lo. Afinal, apesar de tudo, Ciração Literária é Criação Literária, não é verdade? Não me importo de colocar textos meus na rede para leitura livre... Mas quero os créditos pelo meu trabalho. :D

O novo layout do Entrelinhas é que está lindo... mas parado por falta de tempo. Triste, não é verdade? Vou tentar adiantar no final de semana porque mal posso esperar para vê-lo na rede também.

Bem, vou ficando por aqui. Quero deixar um beijo bem grande para todos. Muita paz, luz e harmonia em seus caminhos. Sucesso e sorte no que estiverem fazendo, meus queridos. Escrito por Hariel D. Noone às 16h25
[] [envie esta mensagem]





Olá, pessoal! Mais uma vez estou demorando bastante para atualizar o Blog, né? Mas estive muito atarefada essas últimas semanas, primeiro escrevendo o maior número de capítulos que consegui de Súplica do Vento, depois começando no meu novo emprego. Isso mesmo! Recebi uma proposta que não pude recusar: trabalhar na Escola do Futuro, na USP, como Mediadora Pedagógica (relacionado com Ensino a Distância). Estou amando tudo: equipe, incumbências, trabalho em si... Nem mesmo as duas horas de deslocamento para ir e para voltar me tiram o ânimo de ir para lá! O que está me matando mesmo é essa gripe, que peguei no sábado de tarde, creio eu! Tô meio quebrada...

Para os amigos, fiquem tranqüilos porque escrever ainda é algo de grande importância na minha vida e não vou deixar de me dedicar às palavras. Muito ao contrário. Fazia tempo que não me sentia tão motivada a escrever! Estou redescobrindo esse prazer, o que é maravilhoso porque temos sempre que redescobrir as coisas boas que fazemos na nossa vida. Mudar de ares está me fazendo muito bem mesmo.

Quanto à Súplica do Vento, estará disponível na rede em breve. Mas decidi terminar a história antes de começar a publicar, para não ter problemas de atualização. Falta pouco, a história não é tão grande assim!

A outra novidade que está me deixando MUITO empolgada é que estou refazendo o layout do meu site, Entrelinhas. Esse é de longe o mais botnito que já fiz e tem tudo a ver comigo! Mas está me consumindo um certo tempo porque tenho que ajustar imagens, construir as páginas, etc. Espero que esteja pronto antes do final de Maio e colocarei na rede de uma vez, tudo bonitinho. Vocês poderão ler muitos textos meus por lá e o site ficará muito mais profissional. Por outro lado, me vi obrigada a retirar a seção destinada à divulgação de outros autores porque não tenho tempo suficiente para atualizar como deveria. É uma pena, mas terá de ficar para outra oportunidade, quando eu tiver mais tempo disponivel outra vez.

Mesmo assim, espero que vsitem quando eu fizer as modificações. Vou avisar todo mundo, podem ficar tranqüilos.

Acho que vou ficando por aqui... Deixo um grande beijo para vocês nesse feriado. Muita paz, luz e harmonia em seus caminhos. Sucesso e sorte no que estiverem fazendo.

Escrito por Hariel D. Noone às 11h49
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]


.:: Sobre Mim ::.

Hariel D. Noone
31 anos de idade
Residente em São Paulo
Escritora
(ainda que não em 100% do tempo)



Minha Homepage





Minhas Crônicas do Quotidiano





Primeiro Conto Virtual









Candy Bar - Faça suas Dolls!

.:: Meu Humor ::.


.:: Obras Publicadas ::.



Leia o Prólogo aqui!


Onde Comprar:
» Submarino
» Editora Alta Books
» Livraria Cultura






Leia o Primeiro Capítulo!


Onde Comprar:
» Editora Alta Books
» Submarino
» Artepaubrasil Livraria Virtual
» Livraria Cultura
» Livraria Saraiva
» Fnac


.:: Personagens ::.



Os dois personagens principais de
Noite Eterna- Sangue Sobre Cedro,
Lythos e Cedric, foram criados ao som de
The Old Ways, de Loreena McKennitt.

Ouça aqui The Old Ways

Leia a letra original com tradução!





Esses são Nicholas e Davi, personagens de
Xeque-Mate, na cerimônia de formatura
da graduação. Nicholas tinha 20 e Davi 22anos.

Xeque-Mate é especial por ter
sido meu primeiro livro publicado.
Concebi, cada detalhe da personalidade
de Davi ouvindo Black,
do grupo Pearl Jam.

Clique na seta para ouvir Black
Leia a letra original com tradução!


.:: Seção Literatura ::.

"(...)Fiz de mim o que não soube,
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era
e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi no espelho
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já ão sabia vestir o dominó
que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo
e vou escrever esta história para
provar que sou sublime.(...)"


(Trecho do poema "Tabacaria", do
heterônimo Álvaro de Campos)



"(...)Bastian refletiu durante muito tempo,
e depois disse:

- É estranho que não possamos desejar
aquilo que queremos. De onde virão os desejos?
E o que será realmente um desejo?

Graograman olhou o rapaz com ar sério,
mas não respondeu.
Alguns dias mais tarde, tiveram outra
conversa muito importante.
Bastian mostrara ao leão a inscrição
no verso da "Jóia".

- O que isso significa? Faça o que quiser.
Deve querer dizer que posso fazer tudo o que
me apetecer, você não acha?, perguntou o garoto.

O rosto de Graogaman pôs-se de repente muito
sério e seus olhos começaram a faiscar.

- Não, disse ele com sua voz retumbante.
Isso quer dizer que você deve fazer sua
Verdadeira Vontade. e nada é mais difícil
do que isso.

- Minha Verdadeira Vontade?, repetiu Bastian,
impressionado. E o que significa isso?

- É o seu segredo mais profundo, que nem
o senhor conhece.

- Então, como poderie descobrí-lo?

- Seguindo o caminho dos desejos, passando
de um para outro até o último,(...) Esse caminho
exige a maior autenticidade e atenção,
porque em nenhum outro é tão fácil
perder-se para sempre."(...)


(Trecho de "A História sem Fim",
de Michael Ende)


"(...)Isto é insuportável, mas está acontecendo.
É como a descrição daquelas execuções bárbaras,
não se podem imaginar os pensamentos ou sentimentos
daquele que é objeto central, guiado para a frente
no meio da multidão, mãos amarradas para que não
possa esconder o rosto. Tudo o que você é pertence
ao mundo ao seu redor, e, todavia, você olha para
a frente como se nada lhe estivesse acontecendo,
nota as nuvens movendo-se rapidamente sobre sua
cabeça pelo sorpo da brisa do mar(...).

- Se você sair daqui - disse o odioso Guido Maffeo,
o moreno que sabia tudo -, para onde irá?

- Eu não deixarei.
- Quer ser expulso!
E nessa hora, quando as chicotadas vierem,
tente pensar sobre a dor em vez de lutar
contra ela, porque não há um só aspeto da vida,
presente, passado ou futuro, que não tente afastar
suas razão de você. então pense na dor. Ela afinal
tem seus limites. Você pode seguir sua passagem
através do corpo. Tem começo, meio e fim.
Imagine se tivesse cor. O primeiro golpe
da chibata seria o quê?(...)

- Ou você canta ou será espulso dessa
escola... Para onde irá?

É isso. Para onde irá você?
Por que você se encarcerou neste palazzo
de câmaras de tortura, porque não deixa
este lugar? Porque você é um monstro e isto
é uma escola para mosntros, e, se a deixar,
estará completamente, completamente sozinho!
Sozinho com isto!

Não chore na frete desses estranhos.
Engula o choro. Não chore na frente desses estranhos!
Chore para o céu, chore para o céu,
chore para o céu.(...)"

(Trecho do livro "Chore para o Céu",
de Anne Rice)



Estou lendo:





Livros Favoritos:


» A Confissão de Lúcio, Mário de Sá Carneiro
» A Dança Imóvel, Manuel Scorza
» A História Sem Fim, Michael Ende
» A Idade da Razão, Jean Paul Sartre
» A Marca de Uma Lágrima, Pedro Bandeira
» A Saga Otori (em Ttês volumes), Liam Hearn
» Antologia Poética, Vinícius de Morais
» Antologia Poética, Cecília Meireles
» Do Amor e Outros Demônios, Gabriel Garcia Marques
» Ensaio Sobre a Cegueira, José Saramago
» Chore para o Céu, Anne Rice
» Entrevista com o Vampiro, Anne Rice
» Hamlet, William Shakespeare
» Ilusões, Richard Bach
» Longe é Um Lugar que Não Existe, Richard Bach
» O Alienista, Machado de Assis
» O Ano da Morte de Ricarod Reis, José Saramago
» O Corvo, Edgar Allan Poe
» O Eu Profundo e os Outros Eus, Fernando Pessoa
» O Jogador, Dostoiévisky
» O Pequeno Príncipe, Saint Exupéry
» Paraíso Perdido, John Milton
» Por um Fio, Dráuzio Varella


.:: Seção Cinema ::.

Último filme que assisti:


.:: Seção Animação ::.



LOVELESS é uma fantástica animação
que mescla temas introspectivos, romance e
fantasia numa história coesa com personagens
bens contruídos e uma trama bem estruturada.
Em Loveless, ao longo de 12 episódios,
acompanhamos o drama de Ritsuka em resgatar
seu passado e, a partir daí, seu próprio ser
numa jornada que compreende amadurecimento,
aceitação e entrega.
Uma das animações mais lindas que já vi.

Ouça Tsuki no Curse,
o tema de abertura.


Letra original com a tradução!





KAIKAN PHRASE conta a história de cinco jovens
que têm um sonho em comum: se tornarem músicos.
Acompanhamos a trajetória de cada um,
todas as barreiras
e dificuldades vencidas, sonhos perdidos e realizados.
Kaikan Phrase nos fala de objetivos, ética e força para
realizar sonhos, além de contar
com uma trilha sonora FANTÁSTICA.
Muito bem conduzido. Assistam!

Ouça Midnight Crow,
uma das canções mais lindas da trilha.


Letra original com a tradução!


.:: Estação do Ano ::.

Inverno


.:: Yashoda e Krishna ::.


"Bahja Sri Krsna Chaytania
Prabhu Nytiananda
Sri Advaita Gadahara
Srivasadi Goura Bakta Vrinda”


"Peço por aqueles
que trazem sentimento na alma.
Abençoados sejam em sua busca.
Que os acalentem na perda e na dor,
E que dê forças para que
multipliquem o amor."
(Bahja Sri Krishna, mantra indiano)


Clique para ouvir o Mantra!
Intérprete: Tomaz Lima


.:: Literatura Virtual ::.



» Academia Blogueira de Letras
» Agora, aqui, ou em qualquer lugar
» Álcool com Açúcar
» Alguma Coisa Qualquer
» Alma Nua
» As (A)Normais
» Assim é, se lhe parece



» Bala Perdida
» Balzac Blog
» Bloco de Rascunho
» Blogautores
» Blue Woman



» Carenss
» Castelo de Cartas
» Central Nacional de Poemas
» Chapelaria das Palavras
» Coisas da Vida
» Conjugue o Verbo
» Continuo Sendo Ignorado
» Contos Interditos
» Contos e Recontos
» Cores Humanas
» O Crítico
» Crônicas de Barcelona
» A Culpa é Toda Dele


» Danielle Wirtz
» De Boca Aberta
» A Desvairada Literata
» Devaneios e Desatinos
» Do Fundo da Gaveta
» Doutor Júnior
» Drops da Fal



» É Tudo Ficção (Blog)
» É Tudo Ficção (Homepage)
» Ensaios
» Entre Tanto
» Escrevendo e Compreendendo
» Escrito por Erasmo Úmarth
» Expressões Digitais



» Figuras de Linguagem
» Fornit Some Fornus



» Heart's Place
» Hisafarr



» Infinitamente Maior que Eu



» O Lago da Dama
» La Vie En Blues
» Lourenço Dreyer
» A Lousa Electrónica
» Lovely Gabi



» Mar de Poesia
» O Maravilhoso Mundo de Gabriel
» Marcelino Rodriguez
» Mestressan
» Mundo Aparte
» O Mundo, exasperadamente, não é o que parece...



» Pagando a Língua
» Palavras em Chamas
» Palavras Sobre Telas Abstratas
» Paperbag Writer
» Pensando Alto
» Plantando Letras... Colhendo Palavras
» Poesias e Contos
» Pólen e Poesia
» Ponto e Vírgula
» Praça do Escritor



» Quintessência



» Renata Marques
» O Renegado
» Requienm



» Sabatika
» O Seu Cronista
» Sisifo's Curse
» Sombras e Sonhos
» Stigmas - Pseudo Poesias



» Tammy Luciano
» Tão longe, tão perto
» Toute Petite



» Veneno Antimonotonia
» Viajante dos Sonhos
» Viva a Liberdade de Expressão



» You Say!



.:: Sobre o Blog ::.

Criado em 09 de maio de 2004



.:: Links ::.

UOL - O melhor conteúdo
BOL - E-mail grátis

.:: Participe da Votação ::.

.:: Indique este Blog! ::.


01/12/2007 a 31/12/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/10/2006 a 31/10/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005


.:: Leia no seu Celular ::.



.:: Plágio é Crime! ::.



Então, se quiser reproduzir
qualquer texto, deste site
ou de outro qualquer,
integral ou parcialmente,
não se esqueça de atribuir a autoria
a quem é de direito.
Contribua para divulgar o trabalho
ainda anônimo de muitos de nós.
Todo mundo agradece!

.:: Visitaram ::.